Clínica de oftalmologia salvador, catarata salvador, glaucoma salvador

O que é retina?

A retina é uma camada fina que envolve a parede interna do olho. A retina pode ser comparada à película de uma câmara. As imagens que vemos são focalizadas pela lente e projetadas na retina. As imagens são transmitidas pelo nervo óptico do olho ao cérebro para a interpretação. Assim, a retina pode ser a parte mais importante do olho. A retina é composta de duas porções principais: uma área macular central e uma retina periférica muito maior. A retina periférica permite que nós vejamos objetos de um ou outro lado (visão periférica) e fornece, consequentemente, a visão necessária para que uma pessoa se mova com segurança. A mácula é uma área muito pequena, central da retina, que contém uma concentração elevada de cones. A sua constituição permite a visão central desobstruída para ver detalhes, para atividades como leitura ou enfiar linha em uma agulha. A mácula é particularmente sensível às mudanças de circulação, especialmente aquelas que ocorrem com envelhecimento, tal como o fluxo diminuído do sangue.

O que é um descolamento de retina?
Um descolamento da retina é uma separação da retina da sua conexão na parte posterior do olho. A separação resulta geralmente de uma rasgadura na retina. A rasgadura frequentemente ocorre quando o vítreo se separa da sua conexão na retina, geralmente nas bordas exteriores do olho. O vítreo é um gel translúcido que preenche a maior parte do interior do olho entre a retina e a lente. Se a retina for fraca quando o vítreo puxa por ela, a retina rasga-se. Este rasgo é por vezes seguido por hemorragias, se um vaso sanguíneo for rasgado também. Uma vez que a retina se rasgou, o vítreo pode então passar através da rasgadura e acumular-se atrás da retina. A acumulação do vítreo atrás da retina é o que causa o descolamento da retina. Quanto mais vítreo passar pela rasgadura, maior a extensão do descolamento da retina. Este pode progredir e envolver a retina inteira, conduzindo a um descolamento da retina total. Um descolamento da retina afeta quase sempre somente um olho. O segundo olho deve, no entanto, ser verificado.

Quais são os sinais e sintomas de um descolamento de retina?
Flashes luminosos e manchas no campo visual que se assemelham a moscas volantes podem ser os sintomas iniciais de descolamento da retina. Um paciente que perceba estes sintomas deve ser observado por um oftalmologista para um exame da retina mais detalhado. Os sintomas “moscas volantes” são geralmente benignos e podem resultar de uma separação do vítreo da retina. Esta circunstância é chamada de descolamento posterior do vítreo (DVP). Embora um DVP ocorra frequentemente, não há nenhuma rasgadura associado com esta condição na maioria das vezes. Todavia, por segurança, todos os pacientes que apresentem tais sintomas devem ser prontamente examinados por especialista em retina para que se possa afastar rasgos e buracos retinianos que podem ser perigosos para a visão. O objetivo do oftalmologista é fazer o diagnóstico e tratar eventuais rasgadura com laser. Uma vez que a retina esteja descolada o tratamento passa ser cirúrgico devendo ocorrer de preferência antes que a área macular central da retina se descole.

Que doenças dos olhos predispõem ao desenvolvimento de um descolamento da retina?
Os pacientes com histórico familiar de descolamento de retina têm um risco aumentado de desenvolver um descolamento da retina. Todavia, o principal fator associado ao descolamento de retina é relacionado ao processo de desprendimento do gel que preenche o olho (chamado vítreo) da retina – que é denominado descolamento do vítreo posterior. Esta duas estruturas, vítreo e retina, estão firmemente aderidas na infância, mas com o tempo há um processo de liquefação do vítreo o que proporciona seu desprendimento da retina. Tal processo não ocorre de uma vez, e portanto há áreas que se desprendem e outras que ficam ainda aderidas. Quando há movimentação do gel pode ocorrer uma tração sobre a retina e surgimento de rasgos e buracos. Além disto, ocorrem afilamentos e degenerações da retina periférica mais típicos em pacientes com miopia elevada (maior que 7 graus). Cirurgia da catarata ou outros procedimentos oculares podem incrementar o risco especialmente nos pacientes com miopia elevada.

Que outros fatores podem contribuir para um deslocamento de retina?
O traumatismo ocular, causado pelo impacto forte de um objeto na face, ou um ferimento penetrante por um objeto afiado podem conduzir a um descolamento da retina. Os portadores de diabetes podem conduzir a um tipo de descolamento da retina causado por tração na retina, sem rasgadura. A retinopatia do diabetes se caracteriza por surgimento de vasos sanguíneos anormais fruto da falta de oxigenação crônica da retina. Estes vasos anômalos têm facilidade em sangrar, baixando a visão significativamente, além disso, propiciam o aparecimento de trações que culminam com descolamento de retina.

Por que é importante tratar de imediato um descolamento de retina?
Quase todos os pacientes progredirão até a uma perda total da visão se o descolamento não for reparado. A reparação cirúrgica de um descolamento da retina é geralmente bem sucedida, embora mais de um procedimento possa ser necessário. Uma vez que a retina é reparada, a visão geralmente melhora e estabiliza. A capacidade de leitura após a cirurgia dependerá se a mácula (parte central da retina) for descolada. Descolamentos da retina severos podem requerer uma técnica cirúrgica chamada Vitrectomia. Estes descolamentos incluem aqueles que são causados pelo crescimento de vasos sanguíneos anormais na retina ou no vítreo, como ocorrem em estágios avançados de diabetes.